Magistrais e Oficinais


 

Procedimento farmacotécnico para a obtenção do produto manipulado. Consiste basicamente na avaliação farmacêutica, fracionamento, conservação e transporte. Existem dois tipos de preparação: oficinais (a formulação consta em farmacopeias) e magistrais (o farmacêutico segue uma fórmula prescrita pelo médico, medico veterinário, dentista, nutricionista e farmacêutico, respeitando as legislações vigentes).

MAGISTRAIS

A personalização da terapêutica tem em suas fórmulas magistrais a sua base, pois tais fórmulas são manipuladas uma a uma, de acordo com a prescrição e as necessidades individuais do paciente. Podem ser apresentadas em diversas formas farmacêuticas, como pós (saches, envelopes, saquinhos), cápsulas, pomadas, cremes, suspensões, xaropes, etc. As formulações magistrais, além de atenderem às necessidades particulares do paciente, também propiciam o uso de medicamentos não produzidos industrialmente, aumentando consideravelmente as alternativas de tratamentos disponíveis.

OFICINAIS

Fórmula Oficinal – Medicamento elaborado e garantido por um farmacêutico responsável, dispensado na farmácia, enumerado e descrito na farmacopeia, destinado a administração direta a paciente individualizado, mediante prescrição médica ou conteúdo anódino.